1/22/2015

Resenha: Kriguerkan - O braço direito do rei

Titulo: Kriguerkan - O braço direito do rei
Autor: Wesley Nunes
Editora Biblioteca 24 Horas
Paginas: 374
Sinopse: Em um mundo conhecido como a terra de todos os deuses, é dado a um homem comum um reino perfeito, que só pode ser batizado com o nome de Paraíso. Este rei, conhecedor de sua própria velhice, decide passar o seu reino. Seus dois filhos, Gautz e Grifith, já se imaginam no lugar do pai. O rei usa sua criatividade, combinada com sua esquisitice para criar um desafio único. “Ele decide entregar o seu reino para quem lhe trouxer o melão que mais lhe agradar”. E todos no reino podem participar, desde o bobo da corte até os seus filhos. Mas como? Um paraíso será dado de bom grado a alguém que simplesmente lhe entregar um melão? Isso é só o início das aventuras e dos mistérios que envolvem Kriguerkan, este reino místico concebido de forma inigualável e rodeado de grandes guerreiros e incríveis histórias. É nomeado um novo rei e, como sua primeira atitude, ele decide realizar um desafio para compensar uma grande perda que o Paraíso tinha tido. Para este desafio, chamado “Quem será o braço direito do rei?”, foram convocados guerreiros de todas as nações em toda a terra de todos os deuses. Cada guerreiro tinha uma personalidade singular, um objetivo em mente, e habilidades especiais e inimagináveis, em uma competição da qual nenhum homem jamais sonhou participar. Os participantes são: o herói das terras gélidas, um gatuno mais rápido que o próprio vento, um lutador sem nome e sem memória, um velho guerreiro e ferreiro que já sobreviveu por mais de mil batalhas, um nobre exibido e arrogante, um bêbado, um imenso homem de comportamento doentio, um guerreiro misterioso, quieto em uma armadura, e um estranho guerreiro que alterna vários comportamentos e personalidades. O final deste desafio é imprevisível. Só há um meio de descobrir qual é: leia Kriguerkan para descobrir. 


Resenha: Parecia tudo tranquilo em Paraíso, até que de repente o rei resolve lançar um desafio para seus súditos, esse desafio consistia em cada pessoa escolher o melhor melão para presenteá-lo, a pessoa que trouxesse o melhor e mais gostoso dos melões se tornaria o novo rei. E para o espanto dos filhos reais, Gautz e Grifith, qualquer um poderia participar deste desafio.

Depois de um ano de espera o rei finalmente anuncia quem será o próximo a tomar a coroa do reino, e o felizardo, ou podemos dizer, o mais capacitado para governar Paraíso aos olhos do rei é o Wallan, o bobo da corte. Parece bem estranho, eu sei, afinal, como que um bobo da corte poderia dar conta de governar um reino? É aí que todos se surpreendem, o rei não poderia ter feito uma escolha melhor e apesar do estranhamento, Gautz e Grifith apoiaram a escolha do pai. Garlon, rei das ilhas de Gewinnen, começa a cobiçar Paraíso assim que Wallan toma posse da coroa, e depois de alguns acontecimentos ele também quer vingança e não pensa duas vezes em atacar Paraíso. O resultado desse ataque faz com que Wallan comece a procurar por um novo comandante para suas tropas. Para ser mais clara, Wallan começa procurar alguém que seja seu braço direito. E então mais um desafio é lançado.

Kriguerkan foi um livro com o gênero totalmente diferenciado dos que costumo ler normalmente. Não só a história, mas a escrita também foi algo que saiu totalmente da minha zona de conforto. Não digo isso de forma negativa, muito pelo contrário, se tornou apenas uma característica unica do autor. Houve apenas alguns problemas técnicos que talvez não influencie tanto na leitura, se você estiver realmente envolvido na história, mas é totalmente compreensível por ser uma publicação independente.

Achei bastante legal a forma como o personagem Wallan faz para governar Paraíso, no começo a sua calma diante de um problema pode ser irritante, mas fica bem claro o tamanho da sua sabedoria nas escolhas que deve fazer. O fato dele ter sido o bobo da corte antes de se tornar rei, fez com que, muitas vezes as suas ideias e planos não fossem levados a sério, mas no decorrer da história percebemos que suas atitudes e escolhas foi mudando a mente dos súditos e de seus conselheiros. Acredito que a palavra divertida se encaixa perfeitamente nesse livro, há momentos que fica difícil conter o riso, devo admitir.

A história é narrada em terceira pessoa e apesar do tanto de paginas, alguns acontecimentos são rápidos, o que deixa a leitura mais fluída. Em relação aos personagens, independentes do seu papel na história, eu não consegui odiar nenhum, adorei todos, até mesmo Garlon, que tem uma personalidade detestável. Pra quem gosta de uma história que envolva guerreiros, luta, monarquia e quer ler algo mais leve e divertido, eu recomendo que leiam Kriguerkan!


Você pode se tornar um nobre no raiar de um novo dia e tentar fingir algo que não seja de sua natureza, mas estaria enganando a si mesmo. Pg: 216
-Bruna Alves 

6 comentários:

  1. Muito obrigado Bruna Alves.

    Adorei a sua resenha. Senti uma sensação de dever cumprido, misturado com alegria e satisfação. Já li a resenha umas três vezes e ainda não acredito que consegui te surpreender. Fico feliz que tenha gostado de todos os personagens.

    Só tenho que agradecer por ter dedicado o seu tempo ao meu livro e ainda tê-lo o divulgado em seu site.

    Desejo todo sucesso do mundo para você.

    Quem assim como eu gostou da resenha e se interessou pelo livro, estou fazendo um sorteio de um exemplar na minha pagina do face
    www.facebook.com.br/kriguerkan

    Link do sorteio

    sorteiefb.com.br/tab/promocao/418873

    Um abraço a todos

    ResponderExcluir
  2. Hahaha' Que maximo eu não conhecia esse livro. Gosto de histórias assim, reis... Parece ser bom o livro. Fiquei curiosa para saber um pouco mais! haha'
    Beijos.
    http://www.jardimdeprimavera.com/

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia o livro ainda. Gostei bastante da sua resenha. Numa primeira olhada o livro parece ser bem infantil, mas lendo a sua resenha pude perceber que é daqueles livros que tiramos grandes lições. Se der vou ler.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Oii.

    Livros de fantasias são ótimos para quebrar a rotina literária. Estou sempre curtindo um ou outro que me proporcionam histórias com emoção e ação. Achei a tua resenha muito completa, um ótimo texto.

    beijos

    http://mundo-restrito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Ooi.
    :D

    Não conhecia o livro, mas adorei a temática, essa coisa meio fantasia.
    Eu até leio bastante do gênero e me interessou.
    Parece super diferente!

    Beijooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, esqueci de dizer.
      Estou seguindo o blog.
      :)

      Excluir