1/20/2015

O movimento Riot Grrrl

Olá, pessoas!
Me chamo Sarah e essa é a primeira vez que escrevo pro blog. E como tema de estreia escolhi um assunto que fala de contra-cultura, feminismo, fanzines e muuuuita musica.

No inicio dos anos 90, quando o movimento musical underground estava em alta e era dominado por homens, onde a carreira musical feminina era basicamente formada por vocalistas - e ainda assim eram mal vistas - surge o movimento Riot Grrrl, composto por meninas cheias de atitude e ideologia, que tentavam com suas musicas incentivar outras garotas a formar bandas com instrumentos pesados como baixo, bateria e guitarra. Alem de usar suas musicas pra alertar as mulheres sobre seus direitos.

Lá fora, onde o movimento se iniciou, bandas como Bikini Kill, Bratmobile e Babys In Toyland foram as grandes percursoras necessárias para a propagação.
Em seus shows, Kathleen Hanna, vocalista do Bikini Kill, "pedia gentilmente" que os rapazes fossem para os fundos do espaço e deixassem as garotas na frente onde estavam os melhores lugares. Nessa frente eram distribuídas folhas com as letras das musicas. Como uma certa forma de protesto, Kathleen costumava fazer os shows com palavras como Rape ou Slut (estupro e vagabunda) riscadas em seu corpo demostrando a aversão aos atos de violência sexual e aos comentários frequentemente machistas que determinavam as "garotas do rock" ou as mais "livres" como vagabundas. O habito de Kathleen de protestar com escrituras em seu corpo é imitado até hoje por bandas femininas.


(Bikini Kill)

Aqui no Brasil, as percursoras do Riot Grrrl são as meninas do Dominatrix, a banda surgiu em 95 e está na ativa até hoje. Elas costumam promover debates sobre as causas femininas e direitos de minorias. Ainda no Brasil, a banda Suffragettes defende o vegetarianismo e a preservação ambiental alem do feminismo e outros assuntos.


(Dominatrix)

Uma ferramenta muito importante de propagação do Riot Grrrl alem da musica, são os fanzines  -abreviação de Fanatic magazine - que é basicamente um "jornal" impresso de baixo custo sem muita sofisticação que engloba temas geralmente como musica, poesia, feminismo, vegetarianismo, veganismo, cinema e historias em quadrinhos.
(Clique na imagem para aumentar)

Então, se você nunca ouviu falar desse movimento ou mesmo de Bikini Kill, sugiro que baixe agora "rebel girl" e saia por ai cantarolando "rebel girl, rebel girl, rebel girl you're the queen of my world" e inspire-se para quem sabe, formar sua primeira banda só com garotas ;)


Aqui está o link de uma pagina no face do movimento: Riot Grrrl Brasil.
E também quero compartilhar uma lista com bandas nacionas e gringas de RIOT GRRRLS:


Bikini Kill                        Dominatrix
l7                                      Pulso
Bratmobile                       Cínica
Babes In Toyland            Suffragetts
Hole                                Menstruação anarquika
Pussy Riot                       Frida
7 Year Bitch                    Bulimia
Le Tigre                          Shes Hoos Go
The Gifts                         Banda Pulso
Civet                               Bonecas de trapos
                                       Anti-Corpos
                                       Ratas Rabiosas
-Sarah Bee

5 comentários:

  1. Amei o post. Tem uma atriz que gosto muito que ama esse movimento a Jorja Fox. Direitos iguais e feminismo dá assunto pra muito post e iniciou muito bem

    ResponderExcluir
  2. Eu como boa desinformada que sou não sabia do que se tratava. Gostei muito da postagem. Como uma primeira postagem Sarah, você já começou com o pé direito.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Nossa,que blog lindo!
    Já estou seguindo.
    Amei o post,achei muitooooo interesante!

    Espero vocês no meu cantinho!
    http://bomlivropravc.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Sarah!
    Ainda não conhecia esse movimento e achei bem legal. Vou dar uma pesquisadas nas músicas dessas bandas, afinal nunca é tarde para adquirir um pouco mais de conhecimento.

    Beijos e parabéns pela sua postagem!
    Books and Movies
    www.booksandmovies.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Já tinha ouvido falar desse movimento na escola, em uma aula de sociologia. Feminismo é um tema até polémico, mas que com o passar do anos vem conquistando mais e mais pessoas ^^

    David - (http://daavidjsc.blogspot.com.br/)

    ResponderExcluir